Receba mensagens em seu Email

domingo, 10 de dezembro de 2017

Amós 4 Comentário Pr Heber Toth Armí

Amós 4 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Se a apatia é negativa em qualquer relacionamento, se a indiferença e frieza causam problemas dentro do casamento, quanto mais tais condutas aderidas no compromisso com Deus.

A mensagem de Amós se deve ao fato que “Israel tornou-se uma nação de opressores viciados em opulência e de sincretistas religiosos (4.1-5; 6:1-7). Apesar das tentativas específicas efetuadas por Deus com o propósito de trazê-lo ao arrependimento, permanece indiferente ou até mesmo ignorante a respeito da maneira e da razão de Yahewh agir (4.6-13)” (Paul R. House). 

Warren Wiersbe complementa: Nesse tempo, “os valores do povo eram errados, seu reavivamento religioso era uma farsa e haviam se recusado a ouvir as advertências que Deus havia lhes dado”.

Na mensagem de Amós, Deus quer falar a nós:

1. Vaidade, luxo e prazeres desenfreados são pecados sob a plataforma do orgulho que resulta em ganância insaciável a tal ponto de oprimir aos necessitados, desvirtuar valores e corromper a bênção dos laços matrimoniais; tudo isso atrai o justo julgamento divino (vs. 1-3). 

• É importante ter dinheiro, contudo é imprescindível fazer uma autoanálise a fim de avaliar se não estamos perdendo as coisas que o dinheiro não pode comprar: Caráter, família unida, amizades verdadeiras, paz, salvação e vida eterna.

2. Hipocrisia, corrupção religiosa e analfabetismo bíblico resultam de compromissos frouxos, religião meramente formal, e da perversão da adoração. Uma espiritualidade com estes traços revelam uma religiosidade de aparência que, para Deus, carece de reavivamento e reforma espirituais com urgência (vs. 4-5).

• É importante ter uma religião tanto quanto é importante que ela seja verdadeira. Contudo, não basta pertencer à igreja de Deus, é necessário ser cristão de verdade!

3. Obstinação frente à disciplina, desprezo pela solução divina e amor ao pecado impedem o desenvolvimento de um verdadeiro reavivamento, resultando em um processo divino de julgamento; pois, após usar muitos métodos disciplinares, teimosamente o povo de Deus permaneceu em seus pecados (vs. 6-13).

• Verdadeiro reavivamento surge quanto há disposição para ouvir a Deus e arrependimento genuíno dos pecados cometidos.

“É devido à falta de fé que deixamos de receber o cumprimento das promessas de Deus. Devemos trabalhar, orar e crer. Devemos avançar firme e diligentemente, confiando no Senhor, e dizendo: ‘Não fracassaremos nem nos desanimaremos’” (Ellen G. White).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sábado, 9 de dezembro de 2017

Amós 3 Comentário Pr Heber Toth Armí

AMÓS 3
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Deus avisa antes de realizar Suas ações, sejam elas positivas (salvação) ou aquelas que parecem negativas (julgamento). Os planos divinos não são executados em segredo, Ele anuncia através de Seus profetas sempre que existir necessidade.

Através dos profetas Deus não apenas fala aos habitantes deste mundo carcomido pelo pecado, mas orienta e cuida de Seu povo que vive numa sociedade corrompida moralmente. A presença dos profetas oferece segurança aos fieis – o problema é quando profetas de Deus são rejeitados.

Diante do chamado de Deus, o homem Amós foi compelido “a pregar com tamanha ousadia contra os pecados do rei Jeroboão e contra a classe alta de Samaria, que foi acusado de traição (7.7-8.2)” (John D. Watts).

• Os mensageiros de Deus não são apreciados, muitas vezes, nem pelo povo de Deus.

E nós, ouviremos a Amós?

• Quando Deus chama alguém ou povo para uma missão, tal privilégio não é liberação para pecar; é uma responsabilidade da qual Deus pedirá conta (vs. 1-3).
• Pessoas são salvas para levar a mensagem de salvação aos que estão condenados no pecado, não para permanecerem no pecado, nem justificarem ou ignorarem seus defeitos (v. 10).
• Pessoas privilegiadas que não são dedicadas a viverem conforme seus privilégios, certamente ouvirão a sentença contra seus sacrilégios (vs. 4-9, 11-15).

A mensagem exortativa proclamada pelas sete trombetas apocalípticas não surtiram efeito como Deus planejou (Apocalipse 8-9). Por isso, antes do toque da sétima trombeta, que indica o advento de Cristo (Apocalipse 11:15-19), Deus levantaria um povo, o qual passaria por uma titânica decepção (Apocalipse 10:1-10), mas seria reavivado para proclamar uma mensagem específica (Apocalipse 10:11-11-14).

O juízo investigativo teve início em 1844, conforme mostra Daniel 8:13-14, quando Cristo passou do lugar santo para o santíssimo no santuário celestial. Desde então, a mensagem do juízo tem sido pregada (Apocalipse 14:6-12).

• Esse movimento pré-advento, é um povo privilegiado, mas não é por isso que deve negligenciar suas responsabilidades.
• O remanescente do tempo do fim não deve galgar os caminhos da indiferença e pecado como fez o Israel do passado.
• Antes do fim, Deus avisará à humanidade (Mateus 24:14); pois, além de oferecer oportunidade, Ele mostrará que certamente não fará coisa alguma sem primeiro anunciar Seus planos aos profetas (Amós 3:7). 

Portanto, animemo-nos na missão! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Amós 2 Comentário Pr Heber Toth Armí

AMÓS 2 
Comentário Pr Heber Toth Armí

O mais culpado dos culpados é o povo de Deus que negligencia sua missão entre as nações. Isso se chama negligência espiritual. Para Deus isso é falta de responsabilidade, descaso para com Seus planos e rebeldia pautando-se pela hipocrisia.

“O pecado do povo de Deus é mais severamente condenado. A profecia de Amós, embora tenha sido dirigida também às nações pagãs, foi endereçada principalmente ao povo de Deus. Quanto mais íntima é a relação com Deus, mais grave é o pecado e mais sério o juízo” (Hernandes Dias Lopes).

Após proclamar juízo contra Moabe, os descendentes incestuosos de Ló com a primogênita (Gênesis 19:37), os quais praticaram a vingança (vs. 1-3), chegou a hora de focar o povo de Deus, o qual estava dividido em:

1. Judá (vs. 1-5);
2. Israel (vs. 5-16).

Por que o povo escolhido de Deus tornou-se alvo de ameaças do Céu? 

• “As nações foram castigadas porque haviam pecado contra a lei de Deus, que estava escrita na consciência e no coração das pessoas (cf. Rm 2:14-15). Judá e Israel foram castigadas por haverem pecado contra a lei revelada e escrita por Deus” (John MacArthur).
• “O pecado do povo de Deus é mais grave, mais hipócrita e mais danoso que o pecado dos ímpios. É mais grave, porque peca apesar de um maior conhecimento; é mais hipócrita, porque o povo condena o pecado nos outros e não vê o seu próprio; e mais danoso, porque quando o povo de Deus peca provoca mais escândalo. O juízo de Deus começa pela Sua Casa, mostrando que os maiores privilégios implicam em maiores responsabilidades” (Lopes).

Reflita, ore, assimile:

• Rejeitar a Lei de Deus significa rejeitar o Deus da Lei.
• Ser hipócrita é transmitir mensagens com os lábios, mas outra contrária com a vida.
• Justificar o pecado implica defender ao diabo.
• Ninguém está isento das consequências do pecado, é preciso recorrer a Deus.
• Tudo piora quando se foge de Deus, é preciso fugir para Deus.
• Pertencer a Deus tem grandes privilégios, mas traz muitas responsabilidades.

“Uma vida espiritual que não dá amplo espaço para a justiça articulada pelos profetas acaba nos tornando piores, não melhores; ela nos separa dos caminhos de Deus, em vez de nos atrair para eles” (Eugene Peterson).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

AMÓS 1 Comentário Pr Heber Toth Armí

AMÓS 1 
Comentário Pr Heber Toth Armí

Sociedades decadentes buscam luzes, grandeza e poder. Deus, por outro lado, procura gente humilde. Pessoas degradadas pelo pecado prezam pelo berço de ouro, poder social, realeza, glória, sucesso material, fama, etc. Enquanto, Deus preza pelos sinceros e simples.

Pessoas mergulhadas no pecado valorizam o que tem a ver com o ego pervertido, Deus com o ego convertido. Por isso, desafiando a lógica e a inteligência carnal que tem mania de grandeza, Deus escolhe “as coisas humildes do mundo, as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são” (I Coríntios 1:28).

Amós, cujo nome significa “aquele que carrega fardos” ou “penoso” foi boieiro e cultivava sicômoros antes do chamado de Deus. Ele “não era profeta profissional do quadro de funcionários do rei (7:14). Era apenas um ‘entre os pastores de Tecoa’, uma vila cerca de dezenove quilômetros ao sul de Jerusalém (1:1) e ‘colhedor de sicômoros’ (7:14)” (John D. W. Watts).

Apesar de sua origem nada nobre do ponto de vista humano, Amós foi chamado por Deus e fez um excelente trabalho. No início, ele revelou que a graça, misericórdia e oportunidades dadas divinas têm limites. Sobre a expressão “Por três transgressões ... e por quatro” J. Sidlow Baxter explica que “não deve ser interpretada em sentido aritmético literal de três ocorrências seguidas de uma quarta, mas de modo metafórico, indicando uma medida cheia, seguida de uma transbordante; em outras palavras, o pecado do povo tinha ido longe demais. Em termos coloquiais, eles haviam ‘passado dos limites’”.

• Antes de executar Seu juízo, Deus comunica ao condenado. Damasco representando a Síria (vs. 1-5), Gaza (vs. 6-8), Tiro (vs. 9-10), Edom (vs. 11-12) e Amom (vs. 13-15) recebem advertências e avisos antes de receberem a sentença de suas atitudes corruptas.
• Deus explica as razões do julgamento e apresenta o resultado dos pecados, revelando assim Sua bondade com o pecador, e também Sua intolerância com o pecado.
• Nossa sociedade está atraindo o mesmo juízo divino. Analise se as razões pela condenação de nações do passado não estão presentes ao nosso redor:

a) Arrogância;
b) Exploração;
c) Irresponsabilidade;
d) Estupidez;
e) Indiferença;
f) Indisciplina;
g) Infidelidade;
h) Atrevimentos...

Veja como o apóstolo Paulo descreveu nossa triste realidade em 2 Timóteo 3:1-5. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Joel 3 Comentário Pr Heber Toth Armí

Joel 3
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Deus age e vai intervir na história do mundo com juízo. Suas intenções visam eliminar o mal. Cada uma de Suas ações tem como objetivo combater a rebeldia e levar pecadores ao arrependimento, para que se salvem da condenação do pecado.

Conforme esboça Warren Wiersbe, o dia do juízo está sendo profetizado desde 2:28 e vai até 3:21. Do qual temos:

1. Antes do dia do Senhor: O Espírito será derramado (2:28-32);
2. Durante o dia do Senhor: O juízo será derramado (3:1-16);
3. Depois do dia do Senhor: Bênção será derramada (3:17-21).

“Uma vez que Joel provavelmente foi o primeiro profeta a registrar seus oráculos por escrito, seu livro oferece uma compreensão valiosa da história da profecia, especialmente pelo fato de fornecer uma estrutura para tratar do fim dos tempos, seguida à risca ao longo de toda a Escritura subsequente [...]. Profetas posteriores, inclusive o Senhor Jesus, apenas desenvolveram o esboço, mas, como é característico da natureza divina da Escritura verdadeira, não consideraram necessário, em nenhum momento, se desviar dessa revelação inicial” (Montague S. Mills).

Antes da renovação, o juízo. Antes do juízo, o anúncio. Essa sequência de atos também se encontra no livro de Apocalipse. Além dessa aplicação geral, é possível destacar outras preciosas lições de vida, como por exemplo:

Deus...

• ...quer chamar nossa atenção para a salvação, para isso Ele está disposto a tudo. No livro de Joel Ele aproveitou as crises visando despertar a consciência dos rebeldes de sua necessidade básica da dependência dEle.
• ...anseia reavivar a chama da espiritualidade nos mortos espirituais ou apáticos à prática da fé; por isso, usa Seus mensageiros para despertar os indiferentes quanto à necessidade de renovação espiritual.
• ...deseja que levemos a sério a malignidade do pecado, a necessidade do julgamento e a grandiosa importância do arrependimento por meio da oração e jejum, para experimentarmos a salvação através da graça divina.
• ...almeja que Seus servos busquem Seu perdão, para que, justificados sejam cheios do Espírito Santo; e, assim, se beneficiem da restauração dos redimidos.

No fim, o bem vencerá o mal. “O livro termina com um tom de certeza por um motivo específico: Porque o Senhor habitará em Sião” (William MacDonald). Quem se posicionar ao lado de Deus, experimentará a vitória também! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

Conte-nos como estes três capítulos impactantes de Joel falaram ao teu coração durante estes três dias...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...