Receba mensagens em seu Email

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Isaías 34 - Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 34
Comentário Pr Heber Toth Armí


A grande batalha entre o bem e o mal está em rápido desenvolvimento; logo chegará ao seu auge! O armagedom faz parte deste grande conflito que é mais que real, é literalmente espiritual.

Pare! Pense...

1. A guerra espiritual é global; todos os habitantes do mundo todo estão envolvidos neste conflito (v. 1).

2. Deus nunca está limitado pela geografia, Sua jurisprudência é universal (v. 2); Sua santa presença no mundo fará com que o exército celestial se dissolva; o céu enrolará como pergaminho; os corpos celestes cairão; e, os pecadores morrerão por não suportarem a Sua glória (vs. 3-4).

3. Edom é uma ilustração do julgamento divino sobre as nações do Planeta Terra. O mundo se transformará numa terrível carnificina global quando Deus lidar com os exércitos do mal, formado por pessoas que enredaram-se no pecado (vs. 5-7).

4. O juízo contra a impenitente Edom é uma amostra do que acontecerá com os impenitentes habitantes do mundo (vs. 8-15):

a) Serão consumidos pelo fogo, não viverão eternamente entre o fogo como os salvos, visto no capítulo anterior.
b) O inferno não é um lugar à parte da Terra. Não está localizado em algum ponto do Universo; a sentença será dada no mundo e, todos os condenados morrerão.
c) Fogo que não se apaga e fumaça que sobe de geração em geração revelam que nenhuma matéria resistirá ao fogo. “Afirma-se que a devastação de Edom duraria para sempre, queimando de dia e de noite, um conceito comumente associado a queimar eternamente no inferno. Todavia, Edom não queimou para sempre. A expressão bíblica tem a intenção de dizer que o fogo não será extinto antes de consumir por completo aquilo que está queimando, até não restar nada” (Bíblia de Estudo Andrews).

5. Estude a Bíblia para ficar alerta. “Buscai no Livro do Senhor e lede”. As promessas reveladas cumprirão. Quem nelas confia se alegrará ao perceber a mão de Deus operando a salvação dos que se comprometem com o plano divino e, entenderão o julgamento dos que rejeitam a Deus (vs. 16-17). “Os juízos sobre os inimigos nacionais do antigo Israel em seus territórios servem como tipos ou profecias do Armagedom” (Hans K. LaRondelle).

Atenção: Estude mais a Bíblia para teu próprio bem! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Isaías 33 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 33
Comentário Pr Heber Toth Armí

Neste capítulo chegamos ao final de uma série de meia dúzia de “AIS” proféticos; os quais iniciam no capítulo 28. Preste atenção...

Todos os seis Ais “tratam especialmente de Jerusalém, que é sempre o centro de toda a atuação terrena de Deus. Embora o primeiro ‘ai’ (28) dirija suas palavras de abertura aos ‘bêbados de Efraim’, esses são usados apenas como uma advertência para Judá. As palavras ‘também estes’ no versículo 7 (compare com o versículo 14) mudam o ‘ai’, dirigindo-o a Judá. E, apesar de um último desses ‘ais’ falar anonimamente da Assíria, como o ‘destruidor’, ainda assim a mensagem é dirigida claramente a Jerusalém. Assim sendo, os seis ‘ais’ do capítulo 5 sobre Jerusalém encontram agora um paralelo nesses outros seis”.

Após estas observações, J. Sidlow Baxter extrai a seguinte aplicação: “A cidade de maior privilégio é a cidade de maior responsabilidade”.

Ai dos incrédulos! Quão terrível é ignorar o plano do Messias, nosso único Salvador! Que tragédia optar por caminhos de desespero em vez de humildemente aceitar o caminho da paz!

Apesar dos ais contra os bêbados de Efraim e Judá, os hipócritas de Ariel, os impenitentes perversos de Jerusalém, os rebeldes, os aliados incrédulos e o destruidor assírio, a série de ais termina com tom positivo, conforme sintetiza John N. Oswalt:

O REI REDIME A SIÃO – Isaías 33
1. Lamento pelo destruidor (vs. 1-6);
2. O Senhor é nosso Rei:
a) Agora me levantarei (vs. 7-16);
b) O Rei em Sua formosura (vs. 17-24).

Neste capítulo tem grandes verdades: Quem viverá eternamente no fogo não são os ímpios, mas os salvos. As pessoas interpretam a Bíblia de forma inversa ao que ela ensina.

Os bons, não os maus, estarão eternamente envoltos nas chamas de Deus. Veja as perguntas do versículo 14. Depois, observe quem estará no fogo devorador no versículo 15. Aquele que...

• vive de maneira decente;
• fala a verdade;
• odeia a exploração;
• recusa o suborno;
• rejeita a violência;
• evita as diversões perniciosas.

Os que não agem assim serão devorados pelo fogo consumidor (vs. 11-12; Hebreus 12:28-29). Os que pautam suas convicções pela Palavra receberá as bênçãos prometida por Deus aos futuros moradores da Nova Jerusalém (v. 24).

Não seja ignorante, conheça os planos divinos em Sua Palavra! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Isaías 32 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 32
Comentário Pr Heber Toth Armí

Uma vida, família, igreja e até nação entregue a Cristo, quando regida pelo Espírito Santo, transforma até o deserto estéril em terra fértil (um bosque); a injustiça cede lugar à justiça; e, a vida agitada, corrida e estressante converte-se em paz, quietude e tranquilidade.

Pecadores que se convertem a Cristo, o Rei justo, se tornam príncipes que representam o Messias neste mundo insípido, imoral e tomado pelas trevas do mal (vs. 1-2). Cada crente, verdadeiramente cristão, cheio do Espírito Santo, será...

1. ...um esconderijo contra os vendavais da vida para os que buscarem conselhos, orientações e ouvirem de seus lábios a mensagem do evangelho.
2. ...um refúgio contra as tempestades insurgentes neste mundo de injustiça, perversidade e desgraças;
3. ...como um manancial àqueles que estão áridos numa terra seca de verdades, de amor, e espiritualidade viva;
4. ...como a sombra de uma grande Rocha para os que sofrem no calor das investidas do diabo, das injustiças dos agentes dos demônios, e da falta de proteção em uma sociedade pautada pelo pecado.

O pecado reverte os planos divinos, destrói a criação e deturpa o caráter do ser humano criado à imagem de Deus. A natureza e a sociedade tornam-se um caos, catástrofes se tornam ameaças e os valores são invertidos. Entretanto, Deus estabeleceu um plano para julgar e condenar ao mal; e, então, restaurar tudo o que o pecado arruinou (vs. 3-14).

Para isso, Jesus, o Messias, veio para salvar aos pecadores; e, o Espírito Santo foi enviado para transformar aos transgressores. O coração de quem se entrega a Cristo e é regido pelo Espírito Santo caracteriza-se com “antes” e “depois” de ser reavivado (vs. 15-18):

• De árido passou a fértil, produz o fruto do Espírito;
• De injusto passou a justo;
• De tortuoso passou a reto;
• De incrédulo passou a ter fé;
• De impaciente/inquieto passou a ter paz/descanso.

Embora continuem num mundo perverso, os conversos que promovem o bem serão bem-aventurados até o dia em que Deus dará um basta total ao poder do mal e seus promotores (vs. 18-20).

Precisamos de mais pessoas convertidas a Cristo, cheias do Espírito Santo. Precisamos de mais crentes reavivados que façam a diferença na sociedade. Precisamos impactar o mundo com o poder celestial, sendo representantes divinos! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

terça-feira, 20 de junho de 2017

Isaías 31 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 31
Comentário Pr Heber Toth Armí


Querer saber mais que Deus é o cúmulo da loucura. Acreditar e confiar em qualquer pessoa ou coisa em lugar de Deus é o cúmulo do orgulho e da arrogância.

O orgulho impede as pessoas enxergarem sua real condição e necessidade de um salvador divino. O profeta Isaías, neste capítulo...

1. Reitera a tragédia que sofreria aqueles que depositassem sua confiança no Egito e não na Palavra de Deus (vs. 1-3);
2. Demonstra que, apesar do fracasso e descaso de Deus que resultaria em tragédia nacional do povo escolhido, Deus promete resgatar Seu povo (vs. 4-9);
3. Apresenta um Deus apaixonado insistindo com pessoas negligentes, indiferentes e rebeldes a voltarem a comprometer-se com Ele (vs. 6-7);
4. Mostra a esperança de salvação/restauração que toda e qualquer deformação causada pela desgraça do pecado aconteceria mediante a graça e o poder manifestados pelo Messias, o Salvador (vs. 8-9).

No tempo do fim, nenhum poder humano restará. Como todo o poder no Céu quanto na Terra fora dada a Cristo por Ele ter vencido a Satanás, aos demônios, ao pecado e à morte, quando instituir Seu reino não permitirá que outros poderes concorram com Ele (Mateus 28:18).

Adão e Eva perderam seu posto de governantes deste mundo ao cederem espaço ao diabo (Gênesis 1:26-28; Salmo 8:5-8). Satanás lutava para preservar tudo em Suas mãos, mas Cristo veio e reconquistou tudo o que o mal tinha tomado (Lucas 4:6: Atos 2:14-36).

De acordo com o evangelista Lucas, o diabo tem a seu poder muitos governos que intentam impedir que o reino de Deus seja estabelecido; entretanto, todo esforço satânico e toda guerra diabólica serão extintos pelo poder do Messias.

Porém, como Deus quer salvar; Ele, certamente, usará todo recurso para atrair até inimigos do Seu povo. Caso eles rejeitem Sua estratégia, não há nada mais a ser feito. O orgulho é um obstáculo à fé tanto para os crentes como para os incrédulos. Confiar nas próprias opiniões parecem mais atraentes que confiar no Senhor.

O orgulho é o “Eu” em evidência. Todos tem orgulho, exceto aqueles que morreram para o eu para que Cristo viva no lugar desse eu, como demonstra Paulo em Gálatas 2:20.

Reavivemo-nos! Sejamos súditos do reino de Deus! “Senhor, guia-nos sempre. Amém!”– Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

segunda-feira, 19 de junho de 2017

ISAÍAS 30 Comentário Pr Heber Toth Armí

ISAÍAS 30
Comentário Pr Heber Toth Armí

O orgulho nos submete a nós mesmos e nos torna independentes de Deus. Agostinho disse: “Orgulho não é grandeza, mas inchaço. E o que está inchado parece grande, mas é doença”.

O importante império egípcio se tornaria inútil porque rejeitou arrogantemente a Deus (vs. 1-18). O remanescente dependente de Deus se alegrará, enquanto que o império assírio verá a própria ruína, como o Egito (vs. 19-33). Segurança só existe no poder divino!

Aprenda como a doença do orgulho leva pessoas e cidades ao desastre; depois elimine esse mal antes que ele te elimine. Medite...

• A rebeldia é um dos sintomas do orgulho. Autoconfiança leva indivíduos a decidirem pelo que acham melhor que aquilo que Deus lhes propõe. Estes orgulhosos buscam conselhos e orientações em nações/política (ou pessoas, instituições) que parecem transmitir segurança. Mas, o resultado será humilhação, vergonha e fracassos. A ruína do Egito será a desgraça de quem confiou nessa nação pensando ser invencível como Deus (vs. 1-8).

• O orgulho se mostra também na arrogância; rejeita a verdade e a justiça, preferindo a opressão e a perversidade. Para estes, a verdade pura revelada por Deus é como um espinho num balão bonito, porém sensível, que almeja muito espaço só para si, mas estoura na ponta de qualquer espinho, virando lixo. Ou como um muro alto que cria barriga e cai, tornando-se entulho – assim nos faz o orgulho (vs. 9-14).

• O orgulho ainda é revelado na ousadia de rejeitar o único plano de redimir pecadores das consequências funestas do pecado. Rejeitar tal plano significa confiar que morrer perdido, mergulhado no pecado, é melhor que humilhar-se e arrepender-se aceitando a proposta de Deus (vs. 15-17).

• Deus, que é humilde, oferece gratuitamente a cura para todo orgulhoso. Ele é o Médico dos médicos e espera que nós, orgulhosos, sejamos Seus pacientes. Bons pacientes são aqueles que se entregam aos cuidados do médico e seguem à risca as suas prescrições, abandona hábitos e práticas que prejudicam a saúde e adere à práticas de bons hábitos para que haja cura – neste caso, espirituais (vs. 18-26).

• Como câncer, o orgulho será erradicado da terra, e quem não permitir que Deus o arranque, terá de enfrentar as consequências. Os libertos/curados se alegrarão (vs. 27-33).

Orgulho cega, entorpece! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 18 de junho de 2017

Isaías 29 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 29
Comentário Pr Heber Toth Armí


Você gosta de pessoas falsas? Aprecias quando as pessoas se aproximam de você com falsidades? Gostas daqueles que vivem uma mentira, tentando enganar com palavras e atitudes?

Se você, que não possui perfeição não tolera pessoas hipócritas, imagina um Deus santo! “O povo de Deus da época de Isaías caracterizava-se por insensibilidade espiritual, hipocrisia religiosa e falta de disposição em confiar o seu próprio destino a Deus” (Robert B. Chisholm).

Talvez não precisamos das mensagens de Isaías. Elas só foram úteis para Israel. No cristianismo, a religiosidade flui melhor que no judaísmo. Com uma Bíblia maior, nos tornamos pessoas melhores... Será? Vamos avaliar...

Será que as mesmas características do antigo povo de Deus não estão estampadas no atual povo de Deus? Será que...

1. Somos menos insensíveis espiritualmente? Estamos priorizando a Deus mais do que o povo de Israel no passado?
2. Estamos mais distantes da hipocrisia? Somos mais consagrados e piedosos do que os judeus de antigamente?
3. Temos mais disposição em confiar em Deus nosso futuro? Entregamos cada dia, cada decisão e todos os nossos planos para Deus dirigir, alterar alguma coisa ou substitui-los pelos Seus?

Proponho que, no mínimo, estamos iguais – há quem dirá que estamos piores! Se iguais ou piores, a Palavra de Deus está à nossa disposição como esteve para os antigos judeus. Reflita nestes pontos:

1. Descaso às coisas espirituais reduz tudo a nada: Ariel, o sagrado nome de Jerusalém, sofreria seu último cerco por inimigos destruidores (vs. 1-4; Miqueias 4:11; 5:4-15).
2. Os instrumentos de Deus que amarem ao pecado e abusarem do poder ultrapassando os planos de Deus sofrerão terríveis consequências, foi assim no passado e continuará assim até a consumação dos séculos (vs. 5-12; Zacarias 14:3, 12-15).
3. Cegueira religiosa e fria formalidade resultam em vida espiritual vazia de sentido e desprovida de propósitos nobres. Tais pessoas se decepcionarão consigo mesmas, pois serão vomitadas da boca de Deus, enquanto os humildes e sensíveis à vontade divina serão salvos (vs. 13-24; Apocalipse 3:14-21).

Sem a revelação forte e impactante da Palavra de Deus nos conformamos facilmente com nossa insensibilidade espiritual, hipocrisia religiosa e falta de disposição em confiar a vida inteira a Deus.

Por isso, na Bíblia somos confrontados para que sejamos reavivados! Aceitaremos? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sábado, 17 de junho de 2017

Isaías 28 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 28
Comentário Pr Heber Toth Armí

Como estamos perdidos e condenados à morte por causa de nossos pecados, Deus criou métodos visando atrair-nos para Seu plano de libertação.

• Com nossos defeitos e erros Deus nos ama e quer moldar nosso caráter.

O alvo primário de Deus é a salvação dos condenados. Cada ato Seu, mesmo que muitas vezes não compreendemos, serve para nos despertar para Seu perdão. Sua Palavra, a Bíblia Sagrada, é um dos muitos meios que Ele usa para alcançar nosso arruinado coração.

• Vida dissoluta, orgulho, arrogância e egoísmo dos crentes israelitas resultaria em castigo divino: Uma invasão assíria (vs. 1-4, 7-8).
• A Palavra de Deus revelou-lhes a situação deles e o perigo em que se encontravam por preferirem o pecado antes que o alerta divino, selando assim, seu infeliz destino (vs. 9-13).
• O objetivo de Deus é salvar, ainda que um pequeno remanescente, o qual nem isso seria possível se não fosse Seus métodos insistentes de atração e transformação (vs. 5-6).
• Querendo fugir da morte, os ignorantes fazem aliança com o pecado que promete prazer, mas paga com morte a seus clientes. Fazer planos com a morte e com o inferno não é nada sábio. Só existe segurança na Pedra divina: Cristo (vs. 14-20; Daniel 2:34; 9:27; I Pedro 2:8).
• Sem Cristo não há opção, a condenação é certa e nada poderá evitá-la. A única saída é confiar em Deus e em Seu Messias. Escarnecer de Deus e de Seu plano é assinar a própria sentença. Os líderes políticos e eclesiásticos que são responsáveis pelo povo deveriam saber e ensinar as verdades contidas nos versos 13-29.

“Assim como um lavrador poda, planta e colhe no devido tempo e usa os métodos adequados para cada atividade, assim também o Senhor lidaria com o Seu povo de maneira sábia e apropriada. Embora o julgamento fosse necessário para Efraim e Judá, o Senhor não permitiria que fosse excessivo”, comenta Robert B. Chisholm.

As estratégias de Deus para nos salvar são muitas e Ele trata individualmente com cada pecador. A alguns Ele alerta, a outros Ele disciplina, a outros Ele deixa experimentar a vergonha do pecado, a outros o sofrimento. Mas a todos Ele almeja salvar.

Deixe Deus te libertar, guiar e moldar teu caráter! Você permite-lhe a poda? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Isaías 27 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 27
Comentário Pr Heber Toth Armí


Almejamos paz. Lutamos pela paz. A paz é possível, mas somente com Deus. Ele nos faz promessa de paz. Contudo, para cumprir, os poderes celestiais deverão lutar para que a obtenhamos. Essa batalha, chamamos “O Grande Conflito entre o bem e o mal”.

O mal tem suas forças e seus agentes. Quem está por trás do mal indica que o mal não é natural, mas sobrenatural. O profeta Isaías indica essa verdade no primeiro versículo deste capítulo:

1. Ele é grande e forte;
2. É um dragão;
3. Chamado de serpente veloz e sinuosa.

O apóstolo João, em Apocalipse 12:9, clareia mais nossa compreensão quando relata: “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás...”

A Bíblia de Estudo Andrews comenta: “Essa criatura misteriosa é descrita, neste contexto, como uma ‘serpente sinuosa’, um réptil do mar ou monstro marinho. O termo também ocorre em Jó 3:8; 41:1; Sl 74:14; 104:26”.

Qual é a mensagem do profeta Isaías? O ser sobrenatural, o originador de todo o mal no mundo, será castigado pelo Senhor. Ao utilizar sua dura espada implica que Deus matará o diabo e nunca mais existirá para infernizar a vida de ninguém em lugar algum (Gênesis 3:14-15). “E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo de vossos pés a Satanás” (Romanos 16:20).

Por isso, essa profecia é...

• ...uma canção sobre a restauração da vinha de Deus (vs. 2-6);
• ...uma demonstração de que valeu a pena os diversos métodos disciplinares do Senhor (vs. 7-9).
• ...uma celebração por Deus aniquilar aos que promovem destruição (vs. 10-11);
• ...uma promessa divina de vindicação aos oprimidos pelo mal (vs. 12-13).

A vinha de Deus em Isaías 5 estava imprestável, agora ela foi renovada, restaurada, e tornou-se útil. Deus usa inúmeros meios de podar sua vinha, muitos deles bem dolorosos; todavia, Ele certamente visa sempre a um fim proveitoso (João 15:1-11; I Coríntios 12:7).

A ideia de inferno eterno, com pessoas sofrendo de forma imortal, dá a sensação de que Deus não tem poder absoluto para resolver plenamente o problema do mal. A verdade é que o grande conflito entre o bem e o mal terá fim; assim, a vitória de Deus será total!

Vamos celebrar essa promessa? Alegremo-nos! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armi #ebiblico #rpsp #rbhw

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Isaías 26 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 26
Comentário Pr Heber Toth Armí


Situação desesperadora desmotiva até as pessoas mais positivas. O contrário também é verdade, a esperança motiva até aos mais pessimistas. A esperança é a alavanca para o louvor ao Senhor que abre a eternidade aos mortais da Terra.

1. Sem nenhum mérito, os pecadores que, humildemente, levantam sua face ao alto, visando enxergar pela fé ao Deus Criador que interessa por Seus filhos, reconhecem que Ele merece nosso louvor por Sua fidelidade e pelas Suas misericórdias.

• Os que confiam em Deus verão Sua bênção e desfrutarão de Sua salvação na Cidade Santa, a Nova Jerusalém (vs. 1-4);
• Arrogantes e orgulhosos que acham que há segurança maior e melhor que depositar sua confiança em Deus, se decepcionarão – se frustrarão amargamente (vs. 5-6).

2. A justiça divina é o alvo dos que reconhecem sua injustiça inerente. A justiça própria não passa de fedorentos trapos podres, por isso, não há justiça real desprovidos da justiça celestial.

• Os que confiam na justiça de Deus anseiam que ela se manifeste no mundo através de sua vida e mediante o julgamento no tribunal celestial (vs. 7-9);
• Os que ignoram e desprezam a justiça oferecida por Cristo buscarão em vão por justiça justa; contudo, mais cedo ou mais tarde perceberão que toda busca foi ilusão (vs. 10-11).

3. A ressurreição é uma evidência poderosa da ação de Deus em prol de Seus dependentes (vs. 12-21).

• A morte não será eterna para quem confia sua vida e seu futura a Deus. Na terra, estes se converteram, mas viverão no Céu. Os que morrem antes da segunda vinda de Cristo ressuscitarão para viver eternamente – primeiramente no céu, depois de mil anos voltará para a Terra.
• A morte eterna será o destino inalterado dos que rejeitarem ao Autor da vida. A indignação divina contra a malignidade do pecado resulta em um juízo e condenação eterna.

“Naquele dia” (v. 1) quando a Babilônia receber sua sentença, os salvos estarão em paz na “cidade forte”, a Nova Jerusalém. O Senhor é a segurança, a Rocha dos justos, que morreram para o “Eu” a tal ponto de dizerem: “Todas as nossas obras Tu as fazes por nós” (v. 12) e louvarem assim: “graças a Ti somente é que louvamos o Teu nome” (v. 13).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Isaías 25 – Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 25 –
Comentário Pr Heber Toth Armí

Cantar é a expressão da gratidão do coração. É o louvor ao Senhor que opera em favor de Seu povo. É a manifestação incontida de adorar ao bondoso e misericordioso Deus.

A partir deste capítulo Isaías apresenta um “Livro de Cânticos” do remanescente fiel que provou da graça divina. Esta primeira canção refere-se aos acontecimentos narrados anteriormente:

1. Destruição das cidades iníquas que oprimiam ao povo Deus (v. 2; conferir 24:10). Profeticamente pode se referir à destruição da Babilônia histórica e escatológica (21:9; Jeremias 51:37; Apocalipse 18).
2. A conversão de pessoas do mundo inteiro e o reconhecimento da ação de Deus pelos incrédulos (v. 3; 24:14-16). Todo joelho se dobrará reconhecendo ao Senhor como reto Juiz (Filipenses 2:10-11; Apocalipse 15:2-4).
3. A vitória divina sobre os arrogantes, orgulhosos e indiferentes (vs. 2, 4-5; 24:21-22). Deus retribuirá aos opressores o mal que eles fizeram; assim, Ele manifestará auxílio aos oprimidos (Apocalipse 6:9-11).

Os atos de Deus em prol de Seus filhos fieis são como a de um pai que vê um cachorro feroz avançando sobre seu filhinho indefeso. O pai pega um pedaço de pau e corre atrás do cachorro que avança ferozmente no filho. Ele acerta a cabeça do cachorro, mata o cachorro que queria matar seu filho. O filho é salvo! Assim faz Deus com Seus filhos, porém, muitos não entendem o agir de Deus e O interpretam como um Deus duro, irascível e vingativo. Se Deus não fizesse nada seria negligente.

O bebê salvo das presas do cachorro é a alegria da família, assim como os filhos de Deus salvos das garras do mal é a alegria do Universo. A morte do cachorro trouxe alegria assim como a eliminação do mal do Universo impulsiona os salvos a cantar altos louvores (v. 1).

• Deus prepara uma festa aos salvos para celebrar a vitória (vs. 6-7; Salmo 23:5);
• Deus ressuscitará mortos, matará a morte, enxugará as lágrimas dos salvos e retirará tudo o que lhes aflige (v. 8).
• Deus será o centro e a alegria das canções dos redimidos (v. 9);
• Os ímpios serão destruídos para sempre deixando o Universo sem qualquer perigo (vs. 10-12; Malaquias 4:1-2).

Deus não é indiferente, por isso Ele não é negligente! Seu cuidado é evidente! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

terça-feira, 13 de junho de 2017

ISAÍAS 24 – Comentário Pr Heber Toth Armí

ISAÍAS 24 –
Comentário Pr Heber Toth Armí


O Deus bíblico é infinito. Seu poder de atuação é ilimitado. O diabo não manda nem no inferno, até ali Deus exerce sua autoridade.

Além de as nações serem citadas pelo Deus que a tudo observa e julga, o capítulo em pauta engloba a Terra inteira.

1. Deus olha por toda a terra, observa todas as nações; portanto, nenhum mal escapará de seu julgamento. Ele intervirá para dar um basta na proliferação do mal.
2. Nada neste mundo, nada do que o ser humano seja capaz de fazer, nenhum poder, riqueza ou status será útil para escapar do juízo divino.
3. Arrogância e orgulho são as razões da desaprovação dos pecadores no dia do juízo.
4. A salvação pela fé resulta em libertação do pecado e liberdade para observar a lei moral.
5. O remanescente é um grupo de todas as nações que confiam plenamente em Deus, do qual compõem estrangeiros e judeus.
6. Os que se alegram em sua imoralidade e prazeres pervertidos serão silenciados pelo medo do julgamento futuro.
7. O remanescente que sofreu injustiça, perseguição e oposição por servir a Deus entoará suas melodiosas canções.
8. Antes do fechamento da porta da graça haverá um reavivamento e reforma resultando num convite mundial para uma conversão total ao único Deus que merece adoração.
9. O castigo de Deus aterrorizará a todos os que O resistiram por amor ao pecado, isso foi nos dias de Noé, na Torre de Babel e será também antes dos salvos subirem ao Céu (ver Apocalipse 6:13-14; 16:1-21).
10. Anjos rebeldes que são os demônios da terra também não serão poupados, nem mesmo Satanás (2 Pedro 2:4; Judas 6).

No futuro, durante o julgamento pré-advento de Cristo “a terra cambaleará como um bêbado, como se houvesse sido atingida por um terremoto gigantesco .... As hostes perversas nos lugares celestiais também serão julgadas .... Os reis da terra que foram títeres dessas forças malignas serão julgados com elas na segunda vinda de Cristo. A glória excelsa do Senhor envergonhará o sol e a lua” (William MacDonald).

Certamente,

• O mal terá fim!
• O bem vencerá!
• Satanás e seus agentes serão destruídos!
• Deus dominará plenamente!

O tempo que temos serve para optar pela vitória ou pela derrota! Sejamos sábios! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Isaías 23 – Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 23 –
Comentário Pr Heber Toth Armí

O significado do nome do profeta Isaías dá o tom de suas mensagens de julgamento. Isaías significa “Salvação de YHWH” ou “YHWH salva”.

Portanto, quando uma profecia de Isaías é interpretada indicando frieza, dureza e indiferença de Deus para com qualquer nação do mundo, pode ser que esteja desfocada, distante de sua proposta verdadeira.

Para uma interpretação correta da mensagem divina através de Isaías é importante observar seu desenvolvimento e objetivo. Disto isto, avance na leitura deste comentário com a Bíblia aberta no capítulo em questão. Observe os seguintes pontos:

1. Deus alerta por meio de Seu profeta aos mercadores que o comércio e os negócios findarão em Tiro – é uma advertência mais do que uma ameaça, um meio de despertar os pecadores de suas desgraças pela rejeição da graça e submissão ao pecado (vs. 1-7).

2. Deus disciplinará por meio dos exércitos babilônicos mais uma vez após a disciplina operada pela Assíria visando a destruição dos bens materiais dos habitantes de Tiro, mas não o povo (vs. 8-18).

3. Deus fará com que a cidade de Tiro seja esquecida por 70 anos visando reavivar seus moradores espiritualmente, querendo despertar-lhes para o abandono dos pecados e para a aceitação do perdão (vs. 15-17).

4. Deus faz o máximo e consegue o mínimo, mas não deixa de fazer tudo para salvar pelo menos um pouco – embora Sua intenção seja salvar cada habitante de todas as nações em todas as eras (v. 18).

O Comentário Bíblico Africano observa: “Da mesma forma que fez com Jerusalém, Deus demonstrará misericórdia a Tiro ao final de setenta anos (23:15,17; Jr 25:11; Dn 9:1-2). Apesar da gravidade e persistência do pecado, o Senhor permanece misericordioso. É possível que desta vez o termo ‘meretriz’ não se refira a um comportamento pecaminoso, mas ao comércio de Tiro com várias cidades. É por isso que o Senhor se alegra ao prever que a riqueza dessa cidade será utilizada para demonstrar a glória de Deus (23.18)”.

Deus tinha um plano positivo para Tiro, assim como tem maravilhosos planos para o Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, e todos os outros países que não falam português.

Deus quer te salvar. Deus quer salvar teus familiares, amigos e país! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 11 de junho de 2017

Isaías 22 – Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 22 –
Comentário Pr Heber Toth Armí


Pessoas crentes ou descrentes tendem a agir contrário à vontade de Deus. O ideal divino é ignorado para viver padrões inferiores de vida. O povo de Deus tem muito a crescer, entretanto, é mais fácil retroceder, regredir.

John MacArthur, comentando este capítulo, declara: “Que tens agora...? O profeta censurou o povo por celebrar cultos entusiásticos, quando, ao contrário, eles deveriam estar em profundo arrependimento por causa de seus pecados”.

O capítulo em análise “diz respeito a Judá e Jerusalém. Ele contém dois discursos de julgamento, uma sentença contra o ‘Vale da Visão’ (22:1-14) e uma mensagem dirigida ao oficial real Sebna (22:15-25). O Senhor denunciou o povo pela reação inadequada à crise. Em vez de confiar naquele que fundou a Cidade de Davi, o povo se apoiou nos próprios esforços, o que incluía a fortificação dos muros da cidade e a construção de um novo sistema hídrico. Recusando o convite do Senhor ao arrependimento, as pessoas festejavam, abandonando, de maneira fatal, toda esperança de livramento, subentendendo assim que o Senhor não estava no controle do destino da cidade. Para tais pessoas, o julgamento era inevitável... A falta de dedicação do povo ao Senhor foi resumida por Sebna, um oficial real que manifestou orgulho incomum ao construir para si um túmulo grandioso” (Robert B. Chisholm).

Aplicações:

1. Confiar em tudo, exceto em Deus, significa estar nenhum pouco seguro diante das incertezas da vida.
2. Se não fugir para Deus, qualquer tentativa de fuga se demonstrará um fracasso catastrófico.
3. Quem enxerga o futuro sob as revelações divinas não se envolve em festas, quando há necessidade de arrependimento.
4. Quando a situação espiritual é precária as festanças deveriam ser substituídas por tristeza e choro causados pelo arrependimento dos pecados.
5. Gracejos e indolências diante de crises que devem despertar a espiritualidade é um tipo de alegria falsa; pois, à parte da vontade de Deus não há felicidade verdadeira.
6. O orgulho, arrogância e prepotência roubam a consciência e a sabedoria até das pessoas importantes na sociedade, as decisões resultam em desgraça mortal.
7. Alegria, euforia e entusiasmo por um livramento do Senhor não substitui o arrependimento que Ele espera após Seu ato de graça.

Conscientizemo-nos, arrependamo-nos e consagremo-nos para que haja reavivamento espiritual! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

Isaías 21 Pr Heber Toth Armí

Isaías 21
Pr Heber Toth Armí

A revelação é progressiva. Assim que Deus revela, a mensagem vai ampliando. Quanto mais estudarmos a totalidade da Bíblia, mais amplo será nosso conhecimento.

O capítulo em análise é um complemento dos capítulos 13 e 14. O profeta Daniel e o historiador Heródoto registram o cumprimento dessas profecias que tratam da queda do megalomaníaco Império babilônico.

Babilônia (vs. 1-10) e seus aliados: Duma e Arábia (vs. 11-17) estão contemplados na mensagem de juízo de Deus. Daí aprendemos:

• Após revelar Deus revelar Seus planos, Sua ação é imediata, rápida e impossível interceptá-la. Como os tufões do Sul e as tempestades varrem repentinamente, assim seria varrida Babilônia resultando em sua queda fatal. O poder babilônico descrito no Apocalipse também não impedirá a varredura de Deus no mundo (ver Apocalipse 17 e 18).
• Os poderes do mundo atuam porque os poderes do Céu lhes dão permissão. Elão e a Média foram instrumentos de Deus na destruição do Império Babilônico; deste modo também os reis da terra se unirão para provocar a derrota da Babilônia mundial no tempo do fim.
• Da festa, bebedeiras e diversões, o pecado leva ao terror numa só noite (Daniel 5). Somente será preservado por Deus aquele que for fiel como Daniel.
• Vários textos de Apocalipse são baseados nos textos apocalípticos de Isaías. O mesmo anúncio da queda de Babilônia literal é ouvido na queda da Babilônia escatológica (Apocalipse 14:8; 18:2-4).
• O juízo contra os inimigos de Deus e opressores de Seu povo é a esperança de libertação dos fieis que confiam na promessa divina. O desespero e destruição de uns é a esperança e salvação de outros.
• A idolatria aponta para a proliferação da religião falsa, além de revelar a quantidade de deuses inválidos diante da ação do verdadeiro Deus Todo-poderoso.
• Os árabes (vs. 13-17) estão sob atento olhar de Deus; os mulçumanos deveriam humilhar-se e reconhecer a soberania do Deus da Bíblia se quiserem verdadeira salvação.

Deus quer salvar os perdidos, mas não poderá fazê-lo por aqueles que não querem salvar-se. Deus instou os babilônicos a vigiarem: Em vez de festejarem deveriam aprontar-se para a batalha. Dumá e Arábia também receberam graça (tempo e aviso), mas preferiram a desgraça.

E quanto a nós, que faremos das solenes mensagens de Deus? – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Isaías 20 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 20
Comentário Pr Heber Toth Armí

Onde podemos depositar nossa confiança? Alguns confiam no trabalho, na empresa (emprego); outros, no salário (dinheiro); há também quem confia em pessoas, políticos, etc. Judá confiava em nações aparentemente estáveis, indestrutíveis: Egito e Etiópia. Contudo, estas nações não conseguiram se protegerem diante dos ataques assírios, como protegeriam a Judá?

Quando enfrentamos desafios, onde refugiar-nos? O que fazer diante de situações ameaçadoras? Quando até as grandes potências mundiais falham, “como, pois, escaparemos nós?” (v. 6).

O profeta Isaías ficou andando despido e descalço durante três anos mostrando a humilhação que enfrentariam as potências humanas e mundanas (vs. 1-5). Jesus Se fez homem, viveu entre nós durante 3 1/2 anos, morreu numa cruz desprovido de roupas e, revelou-nos ser Ele nossa única segurança válida.

Jesus humilhou-Se mais que Isaías objetivando salvar os judeus e a nós. Se os judeus atentassem para a mensagem do profeta estariam salvos, nós, também, se atentarmos para a mensagem do próprio Deus que Se humilhou (Filipenses 2:5-11).

Deus cria todo tipo de estratégia querendo chamar-nos a atenção para a única solução, inclusive para a pior das situações: A morte!

Aceitamos de fato e de verdade o plano da salvação, a única solução para nossa situação? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...